Aécio e Lindbergh trocam farpas no Senado

Presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu em seu discurso a prorrogação das discussões sobre o Marco Civil da Internet no Senado e acusou o senador do PT Lindbergh Farias de "apequenar" as discussões sobre o tema; petista rebateu que o PSDB dava um "tiro no pé", porque pretendia atrasar a votação do projeto, que contava com mais de 350 mil assinaturas em favor de brevidade da votação

Presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu em seu discurso a prorrogação das discussões sobre o Marco Civil da Internet no Senado e acusou o senador do PT Lindbergh Farias de "apequenar" as discussões sobre o tema; petista rebateu que o PSDB dava um "tiro no pé", porque pretendia atrasar a votação do projeto, que contava com mais de 350 mil assinaturas em favor de brevidade da votação
Presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu em seu discurso a prorrogação das discussões sobre o Marco Civil da Internet no Senado e acusou o senador do PT Lindbergh Farias de "apequenar" as discussões sobre o tema; petista rebateu que o PSDB dava um "tiro no pé", porque pretendia atrasar a votação do projeto, que contava com mais de 350 mil assinaturas em favor de brevidade da votação (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 – Após o senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato à Presidência da República, defender a prorrogação das discussões sobre o Marco Civil da Internet e dizer que o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) "mais uma vez chegava atrasado nas discussões", o bate-boca tomou contra da Casa.

Em seu discurso, Aécio havia dito, dirigindo-se ao petista, que o marco civil "não é proposta de partido, nem deveria ser de governo, é da sociedade brasileira". "Interessa aos brasileiros e não apenas a um partido político", afirmou. O tucano acusou, ainda, o senador do PT de "apequenar" as discussões sobre o projeto.

Em seguida, o petista disse que o PSDB dava um "tiro no pé", porque pretendia atrasar a votação do projeto, que contava com mais de 350 mil assinaturas em favor de brevidade da votação.

"Não vejo em Vossa Excelência autoridade para se falar em atraso nesta Casa. Compare as minhas presenças e o meu trabalho nesta casa com o de vossa excelência. Vossa Excelência não é dos mais assíduos. Não me venha falar de autoridade política", complementou.

Veja o vídeo: 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247