Cabral recebia mesada de R$ 500 mil, diz delatora

Ex-diretora da Carioca Engenharia Tânia Fontenelle disse ao juiz Sergio Moro, em depoimento nesta sexta-feira 10 como testemunha de acusação de Sergio Cabral, que repassava dinheiro da empreiteira a Carlos Emanuel Carvalho de Miranda, operador e "o homem da mala" do ex-governador do Rio de Janeiro

Rio de Janeiro - O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral é levado preso na operação Lava Jato em viatura da Polícia Federal na sede na Praça Mauá (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Rio de Janeiro - O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral é levado preso na operação Lava Jato em viatura da Polícia Federal na sede na Praça Mauá (Fernando Frazão/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)

Rio 247 - O ex-governador do Rio de Janeiro Sergio Cabral recebia uma mesada de R$ 500 mil da Carioca Engenharia, denunciou nesta sexta-feira Tânia Fontenelle, ex-diretora da empreiteira, em depoimento ao juiz Sergio Moro.

Tânia firmou acordo de delação premiada. Como testemunha de acusação de Cabral, ela contou que repassava dinheiro da empreiteira a Carlos Emanuel Carvalho de Miranda, operador e apontado como "o homem da mala" do ex-governador.

"Eu tinha por incumbência gerar os valores que eram solicitados pelos acionistas e diretores da empresa. Eu repassava um valor fixo mensal ao senhor Carlos Miranda, que me foi apresentado como uma pessoa de confiança do ex-governador. Eu pagava R$ 200 mil mensais. Isso permaneceu por dois a três anos e depois passou para R$ 500 mil mensais", revelou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247