Candidatas do laranjal do PSL têm indiciamento cancelado em Minas

O laranjal do PSL volta à cena em momento que bolsonaristas entram em pânico com a volta de Lula. A Justiça eleitoral de Minas concedeu habeas corpus e cancelou o indiciamento de quatro mulheres suspeitas de terem sido candidatas ‘laranjas’ do PSL a serviço do ministro do turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG)

(Foto: REUTERS/Jake Spring)

247 - O laranjal do PSL volta à cena em momento que bolsonaristas entram em pânico com a volta de Lula. A Justiça eleitoral de Minas concedeu habeas corpus e cancelou o indiciamento de quatro mulheres suspeitas de terem sido candidatas ‘laranjas’ do PSL a serviço do ministro do turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG). 

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo destaca que "todas haviam sido indiciadas pela Polícia Federal em outubro, junto de Marcelo Álvaro Antônio. No mesmo dia, as mulheres foram denunciadas no esquema pelo Ministério Público mineiro. Com a decisão, o indiciamento das quatro suspeitas fica suspenso. A denúncia, no entanto, permanece em vigor e aguarda análise da Justiça. Se recebida a acusação, as quatro se tornam rés no processo junto com o ministro do Turismo."

A matéria ainda acrescenta que "a defesa argumentou que a Polícia Federal ‘ultrapassou limites do razoável’ durante os depoimentos das quatro mulheres, que teriam sido ‘constrangidas’. Ao serem convocadas para um segundo depoimento, elas optaram pelo silêncio e teriam sido ‘coagidas’ por policiais a admitirem crimes. Segundo a defesa, por causa desse episódio, a PF indiciou as mulheres."

Ao vivo na TV 247 Youtube 247