Carlos Bolsonaro perde foro privilegiado: investigação da sua "rachadinha" será acelerada

Vereador perdeu o direito ao foro especial no caso da investigação sobre a "rachadinha" em seu gabinete na Câmara dos Vereadores do Rio. Com isso, vai começar a andar o processo sobre o esquema que ele mantinha, a exemplo de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa

(Foto: ADRIANO MACHADO/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) perdeu o direito ao foro especial no âmbito de uma investigação que apura o emprego de funcionários fantasmas em seu gabinete. Segundo reportagem do blog da jornalista Bela Megale, o Ministério Público do Rio de Janeiro reconheceu o declínio de competência e atribuição de 21 ações penais, além de investigações envolvendo vereadores do Rio que tramitem na primeira instância. 

A permanência na primeira instância é fruto do entendimento da 1a Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a suspenção de um artigo da Constituição Fluminense que previa que vereadores também possuíam a prerrogativa de serem julgados por desembargadores. 

Ainda segundo a reportagem, as investigações acerca da suspeita de contratações irregulares pelo gabinete do parlamentar estão sob responsabilidade do Grupo de Atribuição Originária Criminal (Gaocrim).  

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247