CeasaMinas: Salim Mattar será investigado por vazamento de edital de privatização

O objetivo é apurar o papel do dono da Localiza no jogo de cartas marcadas

www.brasil247.com - Salim Mattar
Salim Mattar (Foto: Ministério da Economia)


Carta Capital - Apontado como o principal beneficiário do vazamento do edital de privatização da Ceasa Minas revelado por CartaCapital no início de setembro, o empresário bolsonarista Salim Mattar será investigado pela Polícia Federal. O objetivo da investigação, determinada ontem pelo Tribunal de Contas da União, é apurar o papel desempenhado por Mattar no jogo de cartas marcadas – e subfaturadas – que pretendia entregar a estatal a um grupo de empresários amigos, segundo denúncia dos servidores do órgão. Apesar do pedido de investigação, contudo, o TCU deu aval ao prosseguimento do processo de privatização – com a ressalva, porém, de que os valores mínimos dos lotes a serem ofertados sejam atualizados.

As acusações contra Mattar, que é dono da locadora de veículos Localiza e foi auxiliar direto de Paulo Guedes no Ministério da Economia, foram encaminhadas ao TCU pelos deputados federais Padre João e Reginaldo Lopes, ambos do PT de Minas. Na intervenção em que autorizou a investigação, o presidente interino do Tribunal, Bruno Dantas, destacou que as informações trazidas pelos parlamentares eram “bastante graves” e pediu a ajuda da PF para que seja feita uma apuração mais aprofundada sobre a conduta do empresário. “Há a suspeita de que, após a visita do então secretário Salim Mattar à localidade [sede da CeasaMinas], um grupo de empresários teria tido acesso privilegiado à minuta do edital. Há outros elementos nos autos. Se eles se confirmarem, o Código Penal capitula essa conduta como crime”, anotou.

Leia a íntegra na Carta Capital.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email