CNJ julga na terça-feira desembargador Eduardo Siqueira, que humilhou guarda em Santos

O desembargador responde a três ações: uma apresentada pela Corregedoria Nacional de Justiça, outra pela Associação de Guardas Municipais do Brasil e mais uma pela Frente Ampla Democrática pelos Direitos Humanos

Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira
Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) irá julgar nesta terça-feira (25), segundo Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, o desembargador Eduardo Siqueira, do Tribunal de Justiça de SP, que humilhou um guarda municipal em Santos, que o advertia pela falta de uso de máscara de proteção enquanto caminhava na praia em julho.

Siqueira responde por três ações: uma apresentada pela Corregedoria Nacional de Justiça, outra pela Associação de Guardas Municipais do Brasil e mais uma pela Frente Ampla Democrática pelos Direitos Humanos.

Em defesa preliminar no CNJ, o desembargador pediu que o processo ficasse sob segredo de justiça.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247