Crivella: “não fui ao sambódromo porque seria demagogia”

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, divulgou nota à imprensa justificando por que não foi ao sambódromo durante o Carnaval. "Não fui porque no meu caso seria demagogia. E os malefícios da demagogia na vida pública são extensos", disse; "A demagogia é a máscara da democracia. E o povo do Rio rejeita um prefeito com máscara ainda que seja no carnaval"

O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, divulgou nota à imprensa justificando por que não foi ao sambódromo durante o Carnaval. "Não fui porque no meu caso seria demagogia. E os malefícios da demagogia na vida pública são extensos", disse; "A demagogia é a máscara da democracia. E o povo do Rio rejeita um prefeito com máscara ainda que seja no carnaval"
O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, divulgou nota à imprensa justificando por que não foi ao sambódromo durante o Carnaval. "Não fui porque no meu caso seria demagogia. E os malefícios da demagogia na vida pública são extensos", disse; "A demagogia é a máscara da democracia. E o povo do Rio rejeita um prefeito com máscara ainda que seja no carnaval" (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, divulgou, nesta quarta-feira (1), nota à imprensa justificando por que não foi ao sambódromo durante o Carnaval. "Não fui porque no meu caso seria demagogia. E os malefícios da demagogia na vida pública são extensos", disse. 

Segundo o chefe do executivo, a demagogia "atinge os bons que se deixam enganar". "Envolve os desinformados que não têm como verificar a autenticidade das atitudes meramente políticas. Acaba dominando os próprios demagogos que criam para seu uso uma segunda natureza e assim prometem, enganam, sorriem e dissimulam com a mais comovente naturalidade", afirmou.

"A demagogia é a maior calamidade da vida pública. Não fiz demagogia no carnaval, mas estive atento e preocupado para que o pessoal da Comlurb fizesse o colossal trabalho de recolher 680 t de resíduos. Os Guardas Municipais rebocaram 345 veículos e o pessoal da saúde - extraordinários - fizeram 1749 atendimentos. Isso para não citar Rio Luz e Conservação", complementou..
 
O prefeito disse que representantes da prefeitura tiveram uma reunião para "adotar medidas que evitem acidentes nos próximos desfiles". "A demagogia é a máscara da democracia. E o povo do Rio rejeita um prefeito com máscara ainda que seja no carnaval", finalizou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247