Depois de discursar em Parada LGBT, prefeito de BH veta peça "Nossa Senhora das Travestis"

Alexandre Kalil (PSD) decidiu proibir a performance "Coroação da Nossa Senhora das Travestis", que seria apresentada na Virada Cultural da capital mineira, alegando defender a "liberdade religiosa"

O prefeito Alexandre Kalil e a primeira-dama Ana Laender compareceram ao palco principal da Parada do Orgulho LGBT.
O prefeito Alexandre Kalil e a primeira-dama Ana Laender compareceram ao palco principal da Parada do Orgulho LGBT. (Foto: Adão de Souza/PBH)

247 - O prefeito Alexandre Kalil (PSD) proibiu a performance "Coroação da Nossa Senhora das Travestis", que seria apresentada amanhã na Virada Cultural da capital mineira. A decisão acontece cinco dias após participar da 22ª Parada do Orgulho LGBT de Belo Horizonte e fazer um discurso em nome do amor. 

O prefeito anunciou o cancelamento por meio de sua página no Twitter. "Estou comunicando que o evento está cancelado", afirmou Kalil, que justificou a decisão alegando defender a "liberdade religiosa".

"Sou católico, devoto de Santa Rita de Cássia. Fiquem tranquilos, ninguém vai agredir a religião de ninguém", completou Kalil, que decidiu pelo cancelamento após protesto da Arquidiocese de Belo Horizonte, que é liderada pelo presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), Dom Walmor Oliveira de Azevedo, e de uma petição online.

"Os cristãos e todos os homens de boa vontade vêm pedir o cancelamento do evento (...) A realização de uma blasfêmia (...) é uma afronta grave e direta contra o sentimento religioso dos cristãos, majoritários no Brasil e em Belo Horizonte", disse a petição dos internautas.

Na Parada do Orgulho LGBT, Kalil defendeu a igualdade e ocupação do espaço urbano, afirmando que "ninguém manda nesta cidade a não ser o povo de Belo Horizonte".

Com uma camisa rosa, Kalil disse: "virem para quem está ao seu lado e diga eu te amo (...) E fodam-se os que pensam o contrário".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247