Distribuição dos leitos de UTIs em São Paulo privilegia as regiões mais ricas

Dados divulgados pela Rede Nossa São Paulo mostram que a distribuição dos leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) do Sistema Único de Saúde (SUS) na capital paulista, que registra o maior número de contaminados e mortos pélo covid-19, privilegia as regiões mais ricas e próximas ao centro da cidade

(Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - Levantamento da Rede Nossa São Paulo mostra que a distribuição dos leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) do Sistema Único de Saúde (SUS) na capital paulista privilegia as regiões mais ricas e próximas ao centro da cidade. 

Os dados, divulgados nesta quarta-feira (8), expõem, por exemplo, que a área da subprefeitura de Pinheiros, região de classe média-alta na zona Oeste, onde moram 294 mil pessoas, dispõe de 365 leitos de UTI do SUS. Com a mesma população, a subprefeitura de Vila Maria, na zona Norte, possui dez.

De acordo com o levantamento, três subprefeituras do município, Sé, Pinheiros e Vila Mariana, localizadas nas regiões mais ricas e centrais da cidade, concentram 9,3% da população do município e mais de 60% dos leitos de UTI do SUS. Enquanto isso, 20% da população (2,3 milhões de pessoas) vivem em sete subprefeituras (Parelheiros, Cidade Ademar, Campo Limpo, Aricanduva, Lapa, Perus, Jaçanã) – localizadas na periferia do município – onde não há um leito sequer.

“Este mapeamento revela, mais uma vez, a desigualdade estruturante na cidade mais rica do país. Nesse momento de crise, se por um lado São Paulo tem sido referência em medidas emergenciais, por outro os números atestam que estamos longe de atingir a equidade social. A desigualdade territorial segue acentuando as diferenças e tornando as populações ainda mais vulneráveis”, destacou a Rede Nossa São Paulo, em nota.

O levantamento foi feito a partir de dados de fevereiro de 2020 do sistema do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS). Procurada, a Secretaria de Saúde municipal não comentou a pesquisa até a publicação deste texto.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247