Família de Cabral diz que não pode pagar advogado

A família do ex-governador do Rio Sérgio Cabral informou esta semana a um dos advogados que representavam o político em Curitiba, Beno Fraga Brandão, que não tem dinheiro para pagar por seu trabalho; segundo o criminalista, a família levou um tempo para avaliar sua proposta financeira e respondeu com uma contraproposta que ele 'não pôde aceitar'; Cabral e Eike Batista são alvo da Operação Eficiência, que investiga a ocultação de cerca de 100 milhões de dólares no exterior que seriam repassados por Eike a Cabral em propina; segundo o MPF, Eike pagou US$ 16,5 milhões em propina para uma organização criminosa chefiada por Cabral

Rio de Janeiro - O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral é levado preso na operação Lava Jato em viatura da Polícia Federal na sede na Praça Mauá (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Rio de Janeiro - O ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral é levado preso na operação Lava Jato em viatura da Polícia Federal na sede na Praça Mauá (Fernando Frazão/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)

Rio 247 - A família do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB) informou esta semana a um dos advogados que representavam o político em Curitiba, Beno Fraga Brandão, que não tem dinheiro para pagar por seu trabalho. 

Segundo o criminalista, a família levou um tempo para avaliar sua proposta financeira e respondeu com uma contraproposta que ele 'não pôde aceitar', informa reportagem do ValorPro, serviço do Valor Econômico.

Cabral e Eike Batista são alvo da Operação Eficiência, deflagrada nesta quinta-feira 27, que investiga a ocultação de cerca de 100 milhões de dólares no exterior que seriam repassados por Eike a Cabral em propina.

Segundo o MPF, Eike pagou US$ 16,5 milhões em propina para uma organização criminosa chefiada por Cabral. O ex-governador está preso desde 17 de novembro, no âmbito da Operação Calicute.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247