Filho se diz mais palatável que Bolsonaro: tem gays na minha equipe

Pré-candidato a prefeito no Rio, o deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do deputado federal Jair Bolsonaro, tenta se desvincular das ideias radicais do pai; "Tenho visão de mundo um pouco diferente. Não muda muita coisa. Tenho gays na minha equipe, tem na minha assessoria da Assembleia e os que estão na campanha. Levo em consideração a competência. Se é homossexual, polissexual ou outra coisa, não me importa", diz 

Pré-candidato a prefeito no Rio, o deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do deputado federal Jair Bolsonaro, tenta se desvincular das ideias radicais do pai; "Tenho visão de mundo um pouco diferente. Não muda muita coisa. Tenho gays na minha equipe, tem na minha assessoria da Assembleia e os que estão na campanha. Levo em consideração a competência. Se é homossexual, polissexual ou outra coisa, não me importa", diz 
Pré-candidato a prefeito no Rio, o deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do deputado federal Jair Bolsonaro, tenta se desvincular das ideias radicais do pai; "Tenho visão de mundo um pouco diferente. Não muda muita coisa. Tenho gays na minha equipe, tem na minha assessoria da Assembleia e os que estão na campanha. Levo em consideração a competência. Se é homossexual, polissexual ou outra coisa, não me importa", diz  (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Pré-candidato a prefeito no Rio, o deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho do deputado federal Jair Bolsonaro, tenta se desvincular das ideias radicais do pai - embora apoie temas como a redução da maioridade penal, o acesso ao porte de armas ou a visão sobre a tortura no regime militar.

"A essência é a mesma, a diferença é a maneira de comunicar as ideias. O Jair, por ter começado sozinho, por necessidade e até por censura, precisou de uma atuação mais áspera. Tenho meu estilo, mas não quero esse rótulo de Bolsonaro light", diz ele, em entrevista ao Valor.

"Tenho visão de mundo um pouco diferente. Não muda muita coisa. Tenho gays na minha equipe, tem na minha assessoria da Assembleia e os que estão na campanha. Levo em consideração a competência. Se é homossexual, polissexual ou outra coisa, não me importa", acrescenta (leia aqui).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247