Fuzil jogado no mar pode ter sido usado para assassinar Marielle Franco

Dias depois da prisão de dois acusados da morte, um homem teria retirado as armas de endereços ligados ao ex-PM Ronnie Lessa e contratado o barqueiro para o serviço

247 - O dono de um barco disse à Polícia Civil do Rio de Janeiro que foi contratado para um passeio e que, no meio do mar, um homem jogou vários fuzis na água. A suspeita é de que uma das armas tenha sido usada para matar a vereador Marielle Franco (PSOL-RJ) e seu motorista, Anderson Gomes, em 2018.

A TV Globo teve acesso ao depoimento e a imagens da polícia, onde mostram as buscas realizadas em março deste ano.

O policial militar reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz estão presos desde março apontados como os autores do assassinato de Marielle e Anderson, em 14 de março de 2018.

Dias depois da prisão, um homem teria retirado as armas de endereços ligados a Lessa e contratado o barqueiro, que teria sido contratado para um passeio até as Ilhas Tijucas, para a prática de pesca submarina. O barqueiro, entretanto, disse que o homem jogou seis fuzis no mar no meio do passeio.

As buscas realizadas não encontratram, entretanto, nenhuma das armas que teriam sido jogadas no mar.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247