General deixa gabinete de intervenção no Rio

O general de divisão Mauro Sinott deixou o cargo de secretário do Gabinete de Intervenção Federal, órgão que assumiu a segurança pública no estado do Rio em fevereiro deste ano; ele deveria ter deixado o cargo em março para assumir a 3ª Divisão do Exército, no Rio Grande do Sul, mas adiou a pedido do Gabinete de Intervenção, para que pudesse completar o planejamento estratégico

Rio de Janeiro - O interventor federal na segurança pública do Rio de Janeiro, general Walter Braga Netto, concede entrevista coletiva à imprensa e apresenta o chefe do Gabinete de Intervenção Federal, o general Mauro Sinott (Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Rio de Janeiro - O interventor federal na segurança pública do Rio de Janeiro, general Walter Braga Netto, concede entrevista coletiva à imprensa e apresenta o chefe do Gabinete de Intervenção Federal, o general Mauro Sinott (Tânia Rêgo/Agência Brasil) (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Vitor Abdala/Agência Brasil - O general de divisão Mauro Sinott deixou o cargo de secretário do Gabinete de Intervenção Federal, órgão que assumiu a segurança pública no estado do Rio de Janeiro em fevereiro deste ano. De acordo com o gabinete, a saída ocorreu oficialmente no dia 6 de junho.

Sinott, que era comandante da 1ª Divisão do Exército, no Rio de Janeiro, deveria ter deixado o cargo em 20 de março para assumir a 3ª Divisão do Exército, no Rio Grande do Sul. No entanto, ele adiou a mudança por mais de dois meses a pedido do Gabinete de Intervenção, para que pudesse completar o planejamento estratégico e conduzir ações emergenciais e estruturantes que estavam em andamento

O cargo de secretário do Gabinete de Intervenção foi assumido pelo general de divisão Paulo Roberto de Oliveira, paranaense que, desde agosto de 2016, era chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Leste (CML).

O interventor federal na segurança pública do Rio, general Walter Braga Netto, continua no cargo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247