Governo quita pagamento de 310 mil servidores

O governo do Rio de Janeiro, comandado por Francisco Dornelles, informou que quitará o pagamento de maio de 310,4 mil servidores, aposentados e pensionistas; de acordo com nota divulgada pela assessoria de imprensa do governo, serão depositados R$ 460 milhões, equivalentes a 30% do valor da folha de pagamento do estado no mês; o valor, que será depositado ao longo de todo o dia (inclusive após o encerramento do expediente bancário), se refere ao crédito complementar da folha de maio de servidores que haviam recebido metade do pagamento no dia 14 de junho

Rio de Janeiro - O governador em exercício, Francisco Dornelles, após visitar o governador Luiz Fernando Pezão em sua residência, no Leblon (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Rio de Janeiro - O governador em exercício, Francisco Dornelles, após visitar o governador Luiz Fernando Pezão em sua residência, no Leblon (Fernando Frazão/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

O governo do Rio de Janeiro informou que quitará nesta segunda-feira (4) o pagamento de maio de 310,4 mil servidores, aposentados e pensionistas. De acordo com nota divulgada pela assessoria de imprensa do governo, serão depositados R$ 460 milhões, equivalentes a 30% do valor da folha de pagamento do estado no mês.

O valor, que será depositado ao longo de todo o dia (inclusive após o encerramento do expediente bancário), se refere ao crédito complementar da folha de maio de servidores que haviam recebido metade do pagamento no dia 14 de junho.

Para os profissionais de segurança pública, hoje está sendo paga a segunda parcela dos vencimentos e benefícios de maio. O pagamento da folha de junho dessa área será feito ainda nesta semana, assim como o pagamento das horas extras e das gratificações.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247