Jilmar Tatto (PT) diz que Bruno Covas (PSDB) é o prefeito do “deixa o povo se lascar”

O pré-candidato à prefeitura de São Paulo pelo PT, Jilmar Tatto, criticou o atual prefeito Bruno Covas (PSDB). Ele disse que Covas é o prefeito do “deixa a vida me levar' e deixa o povo se lascar". Tatto ainda criticou a decisão de liberar a volta às aulas em 8 de setembro

Jilmar Tatto
Jilmar Tatto (Foto: Filipe Araujo @filipearaujo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jilmar Tatto, pré-candidato a prefeitura de São Paulo pelo PT, afirmou que Bruno Covas é o prefeito do “deixa o povo se lascar”. Tatto ainda disse que o PT precisa "voltar ao que era" e cuidar da periferia para combater o "antipetismo" na capital paulista. 

Ele diz: “o PT precisa voltar ao que era, cuidar da vida do povo, do povo da cidade de São Paulo, da periferia, fazer com que a periferia esteja no Orçamento. O PT tem que deixar claro que vai inverter prioridades na cidade de São Paulo, combater essa desigualdade, e a partir daí dialogar diretamente com essa população.”

A reportagem do portal Uol destaca que “o prefeito Bruno Covas não deu o salto que a cidade precisava, principalmente ao comandar a cidade enquanto passa pela pandemia do novo coronavírus. "Ele é um prefeito 'deixa a vida me levar', e deixa o povo se lascar", disse, criticando ainda a decisão de voltar às aulas em 8 de setembro.”

O pré-candidato falou: “eles [Bruno Covas e o governador João Dória] não sabem cuidar do povo. O povo está morrendo todos os dias, está sendo contaminado. A preocupação de abrir o comércio é mais em função do lobby dos shopping centers. (...) Evidente que as pessoas precisam trabalhar, sair de casa, mas as pessoas precisam também viver. Continuam mil pessoas morrendo todos os dias. É a banalização da vida. Nós nos acostumamos com as mortes, e quem está morrendo? Pobre, preto da periferia. E quem cuida deles? Que ação que a prefeitura e o Estado está fazendo para salvar essas vidas? Nenhuma", disse.”

E completou: “quem vai discutir a chapa vai ser o PT. Eu gostaria que fosse uma mulher", disse. "A maioria das pessoas da cidade de São Paulo é mulher. Mas é um debate que o PT vai fazer mais para frente. Nós estamos naquela fase da elaboração do programa de governo", afirmou.”

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247