Justiça do Rio nega quebra de sigilo telefônico de ex-assessores de Flávio Bolsonaro

O juiz Elder Fernandes, da 10ª Vara Federal do Rio, justificou a negação do pedido afirmando que o MPF não apresentou indícios de que a denúncia do vazamento feita pelo empresário e suplente de Flávio no senado, Paulo Marinho, seja verdadeira

(Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Justiça Federal no Rio de Janeiro negou o pedido do Ministério Público Federal (MPF) para quebrar o sigilo telefônico do chefe de ex-assessores de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do estado, segundo o portal O Antagonista.

A decisão foi tomada a partir das investigações sobre o vazamento de informações da Operação Furna da Onça, que apura o esquema de rachadinha no gabinete de Flávio na Alerj. O pedido pede quebra de sigilo ao advogado Victor Granado, ao chefe do gabinete, coronel Miguel Braga Grillo e a Valdenice Meliga, que trabalhava na Alerj.

O juiz Elder Fernandes, da 10ª Vara Federal do Rio, justificou a negação do pedido afirmando que o MPF não apresentou indícios de que a denúncia do vazamento feita pelo empresário e suplente de Flávio no senado, Paulo Marinho, seja verdadeira. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247