Lula pede perícia séria no caso Marielle

O ex-presidente Lula fez seu discurso mais duro contra Bolsonaro. Sob aplausos, ele disse que o ex-capitão não foi eleito para governar para as milícias do Rio de Janeiro e que é preciso fazer uma perícia séria, referindo-se ao sistema da portaria do condomínio do Rio de Janeiro em investigação no caso do assassinato da vereadora Marielle Franco

(Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente Lula fez seu discurso mais duro contra Bolsonaro. Sob muitos aplausos, ele disse que o ex-capitão não foi eleito para governar para as milícias do Rio de Janeiro e que é preciso fazer uma perícia séria, referindo-se ao sistema da portaria do condomínio do Rio de Janeiro em investigação no caso do assassinato da vereadora Marielle Franco.

A reportagem da Folha de S. Paulo destaca que "Lula (...) mostrou que será opositor de Bolsonaro não apenas no campo político, mas também no terreno econômico. Criticou a agenda de reformas e lembrou que o liberalismo no Chile, citando ser um modelo elogiado pelo ministro Paulo Guedes (Economia), elevou a pobreza no país vizinho. Também chamou Guedes de "demolidor de sonhos".

A matéria ainda sublinha que "ao convocar a militância, Lula se referiu à gestão Bolsonaro como um governo de milicianos. "Não adianta ficar com medo. Não adianta ficar preocupado com as ameaças que eles fazem na televisão, que vai ter miliciano, que vai ter AI-5 outra vez. A gente tem que ter a seguinte decisão: esse país é de 210 milhões de habitantes, e a gente não pode permitir que os milicianos acabem com este país que nós construímos."

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247