MP contesta versão de Flávio Bolsonaro sobre fantasma e lavagem

As descobertas dos promotores contestam versões dadas por Flávio Bolsonato e por Queiroz, apontado, nas palavras do Ministério Público, como operador financeiro de uma organização criminosa

Senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ)
Senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) (Foto: Pedro França/Agência Senado - 25.9.19)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - o MP (Ministério Público) do Rio avançou em diversas linhas de investigação, oito meses após obter na Justiça as quebras de sigilos fiscal e bancário do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), de seu ex-assessor Fabrício Queiroz e de outras 93 pessoas e empresas. A reportagem é do Portal UOL. 

As descobertas dos promotores contestam versões dadas pelo filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro e por Queiroz, apontado, nas palavras do MP, como operador financeiro de uma organização criminosa. E

Entre as linhas de investigação estão o uso sistemático de funcionários fantasmas, os indícios de lavagem de dinheiro nas transações imobiliárias de Flávio e o envolvimento de Queiroz com o miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, o Capitão Adriano, chefe do Escritório do Crime —grupo apontado como o responsável pelo assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247