Museu de Arte do Rio cancela negociações para realizar exposição 'Queermuseu'

O Conselho Municipal do Museu de Arte do Rio (Conmar) confirmou, em nota divulgada nesta terça-feira (3), o cancelamento das negociações para trazer a mostra Queermuseu para o Rio; o prefeito Marcelo Crivella (PRB) se manifestou contra a exposição nas suas redes sociais; no dia 10 de setembro, a exposição foi cancelada em Porto Alegre, após protestos e ataques nas redes sociais e no próprio interior do museu Santander Cultural.

O Conselho Municipal do Museu de Arte do Rio (Conmar) confirmou, em nota divulgada nesta terça-feira (3), o cancelamento das negociações para trazer a mostra Queermuseu para o Rio; o prefeito Marcelo Crivella (PRB) se manifestou contra a exposição nas suas redes sociais; no dia 10 de setembro, a exposição foi cancelada em Porto Alegre, após protestos e ataques nas redes sociais e no próprio interior do museu Santander Cultural.
O Conselho Municipal do Museu de Arte do Rio (Conmar) confirmou, em nota divulgada nesta terça-feira (3), o cancelamento das negociações para trazer a mostra Queermuseu para o Rio; o prefeito Marcelo Crivella (PRB) se manifestou contra a exposição nas suas redes sociais; no dia 10 de setembro, a exposição foi cancelada em Porto Alegre, após protestos e ataques nas redes sociais e no próprio interior do museu Santander Cultural. (Foto: Charles Nisz)

Rio 247 - Apos o prefeito Marcelo Crivella (PRB) se manifestar contra a exposição 'Queermuseu', o Conselho Municipal do Museu de Arte do Rio (Conmar) confirmou, em nota divulgada nesta terça-feira (3), o cancelamento das negociações para trazer a mostra para o Rio. No dia 10 de setembro, a exposição foi cancelada em Porto Alegre, após protestos e ataques nas redes sociais e no próprio interior do museu Santander Cultural.

Apesar da interrupção das conversas para trazer a Queermuseu para o Rio, o Conmar se disse favorável à mostra e a qualquer outra "que contribua para o exercício da arte como fundamento de nosso processo civilizatório". Na nota, o conselho lamentou: "Lamentamos o modo como este debate tem sido inflamado por intensas polêmicas, que levaram a prefeitura do Rio de Janeiro, por ser este um museu de sua rede municipal de equipamentos culturais, a solicitar a não realização de Queermuseu - cartografias da diferença na arte brasileira no MAR". O conselho recomendou ainda que o MAR "promova, abrigue e amplie o debate e as reflexões em torno do papel da arte, das instituições e de toda a sociedade para a construção da diversidade e da produção de diálogos calcados na escuta e no respeito às diferenças".

Nas redes sociais, Marcelo Crivella escreveu: “Não é legal estimular uma criança a tocar em um homem nu em ‘nome da arte’. É preciso respeitar a família, vamos cuidar das nossas crianças”. Em outro post, o prefeito declarou que não quer a exposição no Rio: "Aqui no Rio a gente não quer essa exposição. Saiu no jornal que ia ser no MAR. Só se for no fundo do mar, porque no Museu de Arte do Rio, não".

A mostra Queermuseu, com 270 obras de 90 artistas,  foi descrita pela instituição que a exibiria no sul como "uma iniciativa inédita que explora a diversidade de expressão de gênero e a diferença na arte e na cultura em períodos diversos". Algumas imagens, entretanto, foram consideradas ofensivas por quem contestou a exposição, que classificaram o conteúdo como um "incentivo à pedofilia, zoofilia e contra os bons costumes". Após o cancelamento da mostra em Porto Alegre, o Ministério Público do RIo Grande do Sul recomendou ao Santander Cultural que reabrisse a mostra. O museu, entretanto, não voltou atrás.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247