Operador do PSDB tem R$ 113 milhões bloqueados nas Bahamas

Apontado como operador de propinas do PSDB em São Paulo, Paulo Preto teve cerca de R$ 113 milhões bloqueados em um banco no paraíso fiscal das Bahamas, na América Central.

Paulo Preto procura advogado para fazer delação premiada
Paulo Preto procura advogado para fazer delação premiada (Foto: Geraldo Magela/ Agência Senado)

247 - O ex-diretor da Dersa Paulo Vieiria de Souza, conhecido como Paulo Preto e apontado como operador de propinas do PSDB em São Paulo, teve cerca de R$ 113 milhões bloqueados em um banco no paraíso fiscal das Bahamas, na América Central. 

O bloqueio foi solicitado pela força tarefa da Lava Jato, que denunciou Paulo Preto por lavagem de dinheiro. Segundo o Ministério Público Federal, o tucano mantinha quatro contas no banco suíço Bordier & Cie., com saldo total ao equivalente a cerca de R$ 135 milhões, em nome da empresa offshore panamenha Groupe Nantes S/A, da qual ele era o beneficiário e controlador. 

As contas foram abertas quando Paulo Preto virou diretor de engenharia da Dersa, em 2007, e foram fechadas quando ele já era investigado na Operação Lava Jato, no início de 2017.

Na Lava Jato de São Paulo, Paulo Preto já foi condenado duas vezes por crimes ligados à construção do Rodoanel Mário Covas, na região metropolitana da capital paulista, em uma das sentenças a 145 anos, e na outra a 27 anos de prisão.







Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247