"Ou encontramos medicação para a Covid-19 ou não haverá retorno completo" em 2020, diz reitora da UFRJ

A reitora da UFRJ, Denise Pires de Carvalho, afirmou que a universidade não volta presencialmente com turmas completas em 2020, a não ser que um tratamento seja descoberto

UFRJ
UFRJ (Foto: Artur Moês/Coordcom/UFRJ)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A reitora da UFRJ, Denise Pires de Carvalho, afirmou que a universidade não volta presencialmente com turmas completas em 2020, a não ser que um tratamento seja descoberto. Segundo ela, as aulas devem voltar de forma remota em cerca de dois meses. Antes disso, porém, a instituição buscará incluir cerca de 10 mil a 15 mil alunos que não têm acesso pleno à internet. Eles correspondem a até 20% do corpo discente. A reportagem é do portal O Globo. 

"Esse medicamento não existe ainda. Ainda sou otimista: se encontrar até agosto, setembro, um coquetel de medicações que controle o vírus, pode ser que se retorne presencialmente ainda em 2020",  afirmou a reitora.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247