Pezão admite a servidores que pode não terminar o mandato

Governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), afirmou em reunião com representantes de servidores estaduais que, caso o governo não consiga superar a crise financeira sua permanência até o fim do mandato é dúvida; para Pezão, "o ajuste fiscal é a única solução" e que o Estado não tem previsão de quando conseguirá pagar os salários atrasados dos servidores

pezao
pezao (Foto: Charles Nisz)

Rio 247 - O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), afirmou em reunião com representantes de servidores estaduais que, caso o governo não consiga superar a crise financeira sua permanência até o fim do mandato é dúvida. Para Pezão, "o ajuste fiscal é a única solução" e que o Estado não tem previsão de quando conseguirá pagar os salários atrasados dos servidores.

"Por diversas vezes, o governador falou que não sabe se continua no governo até o fim de 2018. É algo preocupante ver a queda de braço entre o Executivo e o Legislativo no Rio. Enquanto isso, os servidores estão passando fome", disse um dos líderes do Movimento Unificado dos Servidores Públicos (Musp), Ramon Carrera, ao jornal O Globo.

Nesta quinta-feira (21), o presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani, enviou um e-mail ao líder do governo na Alerj com duras críicas a Pezão. Na mensagem, ele fala até em votação para o impeachment do governador. Para o presidente da Alerj, se não houver um acordo fiscal, as soluções para o Rio de Janeiro são ou a intervenção federal ou o impeachment de Pezão..

Esse foi o primeiro encontro de Pezão com os servidores desde novembro de 2015. Em estado de calamidade há um ano, o Rio ainda não pagou os salários de maio e abril e ainda retém o 13o salário de 2016 dos servidores. Além disso, os planos de carreira estão congelados e aprovados em concursos não foram convocados.

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247