PF apreende helicóptero e carros de luxo de ex-prefeito tucano

Ex-prefeito do município fluminense de Itaguaí, Luciano Mota, foi afastado ontem das funções públicas pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2); ele é investigado por desvio de dinheiro público da prefeitura da região metropolitana do Rio; além dele, o TRF2 ordenou o afastamento de um assessor, dois secretários municipais e dois policiais militares que trabalhavam como segurança do prefeito; segundo a Polícia Federal, os desvios afetaram, principalmente, a área da saúde

Ex-prefeito do município fluminense de Itaguaí, Luciano Mota, foi afastado ontem das funções públicas pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2); ele é investigado por desvio de dinheiro público da prefeitura da região metropolitana do Rio; além dele, o TRF2 ordenou o afastamento de um assessor, dois secretários municipais e dois policiais militares que trabalhavam como segurança do prefeito; segundo a Polícia Federal, os desvios afetaram, principalmente, a área da saúde
Ex-prefeito do município fluminense de Itaguaí, Luciano Mota, foi afastado ontem das funções públicas pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2); ele é investigado por desvio de dinheiro público da prefeitura da região metropolitana do Rio; além dele, o TRF2 ordenou o afastamento de um assessor, dois secretários municipais e dois policiais militares que trabalhavam como segurança do prefeito; segundo a Polícia Federal, os desvios afetaram, principalmente, a área da saúde (Foto: Gisele Federicce)

Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil*

A Polícia Federal (PF) apreendeu nesta quarta-feira 1º os bens do ex-prefeito do município fluminense de Itaguaí, Luciano Mota, incluindo um helicóptero e três carros de luxo. Ontem (31), ele tinha sido afastado das funções públicas pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2).

Mota é investigado por desvio de dinheiro público da prefeitura de Itaguaí, cidade da região metropolitana do Rio. Além dele, o TRF2 ordenou o afastamento de um assessor, dois secretários municipais e dois policiais militares que trabalhavam como segurança do prefeito. Todos tiveram os passaportes recolhidos.

Delegado da PF, Hylton Coelho informou que o afastamento do prefeito e de funcionários da administração foi fundamental para as investigações. Ressaltou que os desvios afetaram, principalmente, a área da saúde de Itaguaí. Desde a posse de Mota, em 2013, foram investidos R$ 240 milhões no setor. Mas, segundo o delegado, o investimento não condiz com a situação do sistema de saúde do município.

"A área de saúde é absolutamente calamitosa em Itaguaí. É impressionante como se gasta e a população não tem qualquer retorno do sistema", acrescentou o delegado durante entrevista à imprensa na superintendência regional da PF, no centro do Rio.

*Com informações de Lígia Souto - Repórter da Radioagência Nacional

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247