PF indicia ex-secretário de Cabral por corrupção

A Polícia Federal indiciou por corrupção o ex-secretário estadual de Saúde Sérgio Cortês e os empresários Miguel Iskin e Gustavo Istellita, detidos na Operação Fatura Exposta, que investiga um esquema de desvio de dinheiro público no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e na Secretaria Estadual de Saúde; Côrtes e Iskin viraram réus no mesmo caso, por obstrução da justiça

A Polícia Federal indiciou por corrupção o ex-secretário estadual de Saúde Sérgio Cortês e os empresários Miguel Iskin e Gustavo Istellita, detidos na Operação Fatura Exposta, que investiga um esquema de desvio de dinheiro público no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e na Secretaria Estadual de Saúde; Côrtes e Iskin viraram réus no mesmo caso, por obstrução da justiça
A Polícia Federal indiciou por corrupção o ex-secretário estadual de Saúde Sérgio Cortês e os empresários Miguel Iskin e Gustavo Istellita, detidos na Operação Fatura Exposta, que investiga um esquema de desvio de dinheiro público no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e na Secretaria Estadual de Saúde; Côrtes e Iskin viraram réus no mesmo caso, por obstrução da justiça (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - A Polícia Federal indiciou por corrupção o ex-secretário estadual de Saúde Sérgio Cortês e os empresários Miguel Iskin e Gustavo Istellita, detidos na Operação Fatura Exposta, que investiga um esquema de desvio de dinheiro público no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e na Secretaria Estadual de Saúde. Na semana passada, Côrtes e Iskin viraram réus no mesmo caso, por obstrução da justiça. A assessoria de Miguel Iskin não comentará o caso, segundo o Bom Dia Rio.

Côrtes costumava se apresentar como um administrador preocupado com o dinheiro público. “O meu sonho é que R$ 1 da saúde valha realmente R$ 1. É o que nós estamos tentando dentro do instituto", disse o então diretor do Into, em 2004. 

Mas não era tão preocupado com o dinheiro público como aparentava ser. Uma foto de 2009 mostra o ex-secretário num restaurante em Paris, em um jantar em homenagem ao Sérgio Cabral em um encontro conhecido como a ‘farra dos guardanapos’.

O Ministério Público (MP-RJ) investigou, em 2010, contratos da Secretaria Estadual de Saúde. Côrtes decidiu exonerar o subsecretario executivo César Romero Vianna Júnior, que fez a delação premiada que ajudou a prender o ex-secretário. O delator também gravou conversas com Côrtes sobre o esquema de propina. Numa delas o ex-secretário tenta combinar o que os dois poderiam falar à Justiça.

 

 

 
 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247