PMs acusados de tortura serão presos, no Rio

A Corregedoria Interna da Polícia Militar do Rio de Janeiro determinou a prisão disciplinar dos oito policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Coroa, Fallet e Fogueteiro, no Catumbi, zona central do Rio, acusados de agressão a quatro jovens entre 13 e 23 anos, na madrugada do dia 25; os jovens informaram que voltavam de moto de uma festa no Morro Santo Amaro, no Catete, zona sul, quando foram parados pelos policiais durante uma blitz; segundo eles, os agentes praticaram tortura com faca e isqueiro, roubo, humilhação e ameaça prática

upp
upp (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Cristina Indio do Brasil - Repórter Agência Brasil

A Corregedoria Interna da Polícia Militar do Rio de Janeiro determinou nesta quarta-feira (30) a prisão disciplinar dos oito policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Coroa, Fallet e Fogueteiro, no Catumbi, zona central do Rio, acusados de agressão a quatro jovens entre 13 e 23 anos, na madrugada do dia 25.

Os jovens informaram que voltavam de moto de uma festa no Morro Santo Amaro, no Catete, zona sul, quando foram parados pelos policiais durante uma blitz. Segundo eles, os agentes praticaram tortura com faca e isqueiro, roubo, humilhação e ameaça prática.

De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), a prisão foi determinada por necessidade de aprofundamento das investigações do Inquérito Policial Militar (IPM) instaurado. A CPP informou que a autoridade de Polícia Judiciária Militar, responsável pelo inquérito, tem imagens de câmeras de viaturas da polícia indicando indícios de cometimento de crime militar.

Ainda não foi divulgado o local em que os policiais permanecerão presos para responder às Justiças Comum e Militar. Conforme a CPP, os acusados também serão submetidos a Processo Administrativo Disciplinar (PAD), que analisará a possibilidade de expulsão dos policiais.

O Inquérito Policial Militar que apura as denúncias está em andamento na 8ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar (DPJM). Depois de cumprir prisão administrativa de 72 horas, eles foram soltos e transferidos, na segunda-feira (28), para trabalho interno em outra unidade da PM.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247