PMs de São Paulo são suspeitos de forjar autoria de estupro para aparecerem na TV

Os policiais teriam pressionado uma testemunha a depor contra um inocente

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Policiais militares de São Paulo são suspeitos de incriminar o morador de rua Clayton Silva Paulino Santos, 34, por estupro com o objetivo de aparecerem na TV, segundo a Folha de S. Paulo. Os PMs teriam pressionado uma testemunha a dizer que Santos teria a violentado. Desta forma, o depoimento também serviria para acusar o morador de rua de um novo caso de estupro e assassinato.

“O testemunho dela foi de suma importância para chegarmos à conclusão de que ele, realmente, pode ser o autor do estupro e do homicídio da Amanda. Nós precisamos coletar alguns indícios, algumas provas, para realmente ligá-lo ao crime, tendo em vista que ele não confessou ontem no DHPP o cometimento do homicídio e estupro da Amanda”, afirmou à Record o capitão André Silva Rosa, falando sobre a morte de Francisca Amanda Costa Silva, 24, em 29 de março, em São Mateus (zona leste de São Paulo).

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa conseguiu chegar ao real culpado pelo assassinato de Francisca - o morador de rua Fernando Domingos dos Santos Dantas - e, em seguida, a testemunha que falou contra Santos confessou que havia mentido. “Os policiais disseram para a declarante mencionar a tatuagem no reconhecimento, informando que o indivíduo tinha uma tatuagem do Corinthians, dizendo, ainda, que a declarante deveria também reconhecer um boné de cor preta com a inscrição ‘Argentina’ como sendo o boné utilizado pelo autor do crime do qual foi vítima”, diz trecho de documento da Justiça paulista que determina a soltura de Santos e a abertura de investigação por parte da Corregedoria da Polícia Militar.

Ainda não se sabe o grau de envolvimento do capitão Silva Rosa no episódio, ou seja, não se sabe se ele participou da fraude ou se apenas aproveitou o caso para "ganhar mídia", já que concorre a uma vaga a vereador na capital paulista.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247