Polícia abre inquérito para investigar dossiê contra Refinaria de Manguinhos

Após terem seus diretores intimados para depor em procedimento para apuração de crime instaurado a pedido da Refinaria de Manguinhos, os representantes do Sindicom, sindicato que representa as maiores distribuidoras de combustíveis do país – entre elas Shell, Ipiranga, Ale e BR Distribuidora -, se recusaram de prestar depoimento na delegacia na segunda (7); o diretor e o gerente de Planejamento da entidade, Helvio Rebeschini e Marcelo Pinheiro Brasil, protocolaram uma petição dizendo que só vão se manifestar no Ministério Público

Após terem seus diretores intimados para depor em procedimento para apuração de crime instaurado a pedido da Refinaria de Manguinhos, os representantes do Sindicom, sindicato que representa as maiores distribuidoras de combustíveis do país – entre elas Shell, Ipiranga, Ale e BR Distribuidora -, se recusaram de prestar depoimento na delegacia na segunda (7); o diretor e o gerente de Planejamento da entidade, Helvio Rebeschini e Marcelo Pinheiro Brasil, protocolaram uma petição dizendo que só vão se manifestar no Ministério Público
Após terem seus diretores intimados para depor em procedimento para apuração de crime instaurado a pedido da Refinaria de Manguinhos, os representantes do Sindicom, sindicato que representa as maiores distribuidoras de combustíveis do país – entre elas Shell, Ipiranga, Ale e BR Distribuidora -, se recusaram de prestar depoimento na delegacia na segunda (7); o diretor e o gerente de Planejamento da entidade, Helvio Rebeschini e Marcelo Pinheiro Brasil, protocolaram uma petição dizendo que só vão se manifestar no Ministério Público (Foto: Valter Lima)

247 - Após terem seus diretores intimados para depor em procedimento para apuração de crime instaurado a pedido da Refinaria de Manguinhos, os representantes do Sindicom, sindicato que representa as maiores distribuidoras de combustíveis do país – entre elas Shell, Ipiranga, Ale e BR Distribuidora -, se recusaram de prestar depoimento na delegacia nesta segunda-feira (7). O diretor e o gerente de Planejamento da entidade, Helvio Rebeschini e Marcelo Pinheiro Brasil, protocolaram uma petição dizendo que só vão se manifestar no Ministério Público.

A intimação ocorreu depois que Manguinhos fez um pedido para apurar a divulgação de dossiês com informações sigilosas e distorcidas sobre a empresa, que está em recuperação judicial. A refinaria afirma que a responsabilidade pela divulgação é de Rebeschini e Brasil. Manguinhos argumenta que foi cometido o crime previsto no artigo 170 da Lei de Recuperações Judiciais – “Divulgar ou propalar, por qualquer meio, informação falsa sobre devedor em recuperação judicial, com o fim de levá-lo à falência ou de obter vantagem”.

Após a petição do Sindicom, a polícia civil do Rio de Janeiro determinou a imediata abertura de inquérito.

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247