Policiais que matam não contribuem para redução de crimes no RJ, diz estudo

O Ministério Público do Rio de Janeiro concluiu um estudo cuja conclusão é a de que o aumento das mortes por policiais não tem relação com a redução de crimes como assassinatos e roubos, visão clássica entre agentes de segurança pública do estado

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público do Rio de Janeiro concluiu um estudo cuja conclusão é a de que o aumento das mortes por policiais não tem relação com a redução de crimes como assassinatos e roubos, visão clássica entre agentes de segurança pública do estado.

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "para chegar a esse entendimento, o centro de pesquisas do órgão comparou em cada área a variação da letalidade policial, que bateu novo recorde e cresceu 16% nos oito primeiros meses deste ano (para 1.249), e dos homicídios intencionais, que caíram 22% no mesmo período (para 2.717).

Assim, mostrou que não há um padrão entre eles: “Há de fato áreas onde o aumento de mortes pela polícia é acompanhado da queda nos homicídios dolosos, mas esse não é o padrão geral”, diz o relatório. É o caso de São Gonçalo, na região metropolitana, e da região dos Lagos."

O relatório prossegue: "há também um grande número de áreas que apresentam forte queda tanto no número de homicídios dolosos quanto no de mortes por agentes do Estado."

A matéria ainda lembra que "em seus discursos, o governador Wilson Witzel (PSC) não relaciona diretamente uma coisa à outra, mas costuma defender sua política de enfrentamento para a retirada armas e drogas do crime, endossar ações policiais que acabam em óbitos e enaltecer a diminuição nos assassinatos —fenômeno que vem ocorrendo no país como um todo."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email