Rio tem alta em seis tipos de crimes

Levantamento do Instituto de Segurança Pública (ISP) mostra que a crise na segurança do Rio levou o estado a atingir, somente em janeiro e fevereiro, o pior índice na história para seis diferentes tipos de crimes; são os casos de roubos de carga, de veículo, a pedestre, em ônibus, de celular e os a caixas eletrônicos; entre os anos de 1991 a 1998, por exemplo, 15.107 pedestres registraram ocorrência de roubo; esse número é pouco menor que os 15.624 casos registrados apenas nos dois primeiros meses deste ano

Levantamento do Instituto de Segurança Pública (ISP) mostra que a crise na segurança do Rio levou o estado a atingir, somente em janeiro e fevereiro, o pior índice na história para seis diferentes tipos de crimes; são os casos de roubos de carga, de veículo, a pedestre, em ônibus, de celular e os a caixas eletrônicos; entre os anos de 1991 a 1998, por exemplo, 15.107 pedestres registraram ocorrência de roubo; esse número é pouco menor que os 15.624 casos registrados apenas nos dois primeiros meses deste ano
Levantamento do Instituto de Segurança Pública (ISP) mostra que a crise na segurança do Rio levou o estado a atingir, somente em janeiro e fevereiro, o pior índice na história para seis diferentes tipos de crimes; são os casos de roubos de carga, de veículo, a pedestre, em ônibus, de celular e os a caixas eletrônicos; entre os anos de 1991 a 1998, por exemplo, 15.107 pedestres registraram ocorrência de roubo; esse número é pouco menor que os 15.624 casos registrados apenas nos dois primeiros meses deste ano (Foto: Voney Malta)

RIO 247 – De acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP), a crise na segurança do Rio levou o estado a atingir, somente em janeiro e fevereiro deste ano, o pior índice na história para seis diferentes tipos de crimes.

São os casos de roubos de carga, de veículo, a pedestre, em ônibus, de celular e os a caixas eletrônicos. Os dados alcançam os 12 primeiros dias da intervenção das Forças Armadas na segurança, decretada no dia 12 de fevereiro.

Os números assustadores mostram o colapso na segurança. Entre os anos de 1991 a 1998, por exemplo, 15.107 pedestres registraram ocorrência de roubo. Esse número é pouco menor que 15.624 casos registrados nos meses de janeiro e fevereiro deste ano.

Ou seja, em dois meses os dados são quase semelhantes aos registrados em oito anos e é como se uma pessoa virasse alvo de assaltantes enquanto caminhava pelas ruas do estado a cada quase cinco minutos.

OUTROS ÍNDICES

Também apresentaram marcas significativas no período analisado, janeiro e fevereiro, os roubos de veículo, que romperam a barreira das dez mil ocorrências; os em ônibus, batendo mais de dois mil casos; e os de celular, que, também pela primeira vez, superaram os quatro mil registros. Modalidades com menor de ocorrência alcançaram também patamar máximo no primeiro bimestre deste ano, caso dos roubos a caixas eletrônicos, que começaram a ser compilados pelo ISP em 2003. Na capital e no interior, quadrilhas assaltaram caixas bancários em 15 ocasiões entre janeiro e fevereiro, equivalente a um registro a cada quatro dias.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247