Sâmia Bomfim: ao ofender Bachelet, Bolsonaro internacionaliza seu ódio

"Jair Bolsonaro já ofendeu a memória de muitas famílias de torturados e desaparecidos pela ditadura no Brasil. Agora, está internacionalizando seu ódio até para a família da ex-presidenta chilena Bachelet. Além de mentiroso e incompetente, é um homem perverso", afirmou a deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP)

(Foto: Pablo Valadares - Câmara)

247 - A deputada federal Sâmia Bombim (PSOL-SP) repudiou a declaração de Jair Bolsonaro sobre o pai Alberto Bachelet, um brigadeiro morto após ser torturado na Ditadura Militar chilena e pai da ex-presidente daquele país Michelle Bachelet. Atualmente, ela é Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos.

"Jair Bolsonaro já ofendeu a memória de muitas famílias de torturados e desaparecidos pela ditadura no Brasil. Agora, está internacionalizando seu ódio até para a família da ex-presidenta chilena Bachelet. Além de mentiroso e incompetente, é um homem perverso", escreveu a parlamentar no Twitter.

Em texto publicado no Facebook, Bolsonaro criticou a ex-presidente chilena, após ela dizer que está havendo retrocesso da democracia no Brasil. Na rede social, o ocupante do Planalto postou: “Diz [referindo-se a Bachelet} ainda que o Brasil perde espaço democrático, mas se esquece que seu país só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973, entre esses comunistas o seu pai brigadeiro à época”. 

O presidente do Senado chileno, Jaime Quintana, afirmou que o Bolsonaro "está se colocando "fora das relações multilaterias e não está à altura de um chefe de Estado em nenhum país do mundo". 

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247