Secretário de Educação de Witzel é investigado por suspeita de corrupção

Nome do secretário de Educação do Rio de Janeiro, Pedro Fernandes, aparece em um relatório da Polícia Civil como suspeito de integrar um esquema de irregularidades em contratos da Fundação Leão XIII, subordinada à gestão estadual

'Vai faltar óleo de peroba', diz Nicolelis sobre Witzel mentir em currículo
'Vai faltar óleo de peroba', diz Nicolelis sobre Witzel mentir em currículo (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O secretário de Educação do Rio de Janeiro , Pedro Fernandes (PSC), aparece em um relatório da Polícia Civil como suspeito do recebimento de propinas em contratos firmados pela Fundação Leão XIII, subordinada à gestão estadual.

Segundo reportagem do jornal O Globo, o inquérito investiga fraudes que teriam acontecido entre os anos de 2015 e 2018 no âmbito do programa Novo Olhar, que realiza exames de vista, além de oferecer óculos a alunos da rede estadual. Os serviços investigados somam cerca de R$ 66,5 milhões. O governador,  Wilson Witzel (PSC), também é investigado por irregularidades em contratos da área de saúde.  

Segundo o inquérito, conduzido pelo Núcleo de Investigação de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro da Polícia Civil do Rio e pelo Ministério Público, Pedro Fernandes era chamado de “chefe” por outros investigados e também é apontado como um dos beneficiários do esquema. 

Ainda conforme a reportagem, um dos principais alvos da investigação é o empresário Marcus Vinícius Azevedo da Silva, sócio da Riomix, que teve um caderno de anotações com informações sobre as irregularidades apreendido pela polícia. “Percebe-se, no caderno de anotações apreendido na residência de Marcus Vinícius, que Pedro Fernandes (PF) supostamente recebeu quantias derivadas das licitações na Fundação Leão XIII”, destaca o relatório da Polícia Civil. 

Em nota, Pedro Fernandes negou as acusações e disse estra à disposição das autoridades. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247