Secretário de Saúde visita municípios do noroeste do Rio

Equipes de Vigilncia e Ateno Sade da Secretaria Estadual de Sade visitam juntamente com Srgio Crtes, hoje (4), os municpios do noroeste fluminense; tcnicos avaliaro necessidades das secretarias municipais de Sade dessas cidades

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil_ Equipes de Vigilância e Atenção à Saúde da Secretaria Estadual de Saúde visitam hoje (4) os municípios do noroeste fluminense, atingidos pela forte chuva dos últimos dias. Acompanhados do secretário Sérgio Côrtes, os técnicos vão avaliar as necessidades das secretarias municipais de Saúde dessas cidades, verificar os planos de contingência para os casos de enchente, os estoques de insumo e vacinas, a situação dos pronto-socorros, dos locais de abrigo e dos pontos de apoio para desalojados e desabrigados.

De acordo com a Defesa Civil do estado, as cidades de Laje do Muriaé, Italva, Santo Antônio de Pádua, Trajano de Moraes, Miguel Pereira e Cardoso Moreira são as que mais foram afetas na região. O transbordamento dos rios Muriaé e Pomba causou alagamento nesses locais.

A prefeitura de Laje do Muriaé, onde cerca de 30% da população tiveram que deixar suas casas, invadidas pela água, solicitou à Secretaria Estadual de Saúde um kit calamidade, contendo medicamentos para a atenção básica, antibióticos, hipoclorito de sódio e álcool. De acordo com o prefeito, José Eliezer, além dos alagamentos, a cidade também sofre com a falta de água potável.

Em Italva e Santo Antônio de Pádua, duas unidades de saúde, que ficam muito próximas do leito do rio, também foram atingidas pela enchente. A secretaria estadual informou que as equipes vão avaliar a necessidade de montar unidades de pronto-atendimento em locais próximos.

Conforme balanço divulgado no fim da tarde de ontem (3) pela Defesa Civil estadual, foram registrados 367 deslizamentos no estado; 41 inundações; 3 desabamentos e 21 enxurradas. Ao todo, 3.108 pessoas estão desalojadas e 707 desabrigadas. Além disso, 84 residências no estado foram destruídas por causa das chuvas.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email