‘Só alguém eleito pelo povo teria força para tirar o País da crise’

Senador Lindbergh Farias (PT-RJ) comemorou o sucesso do ato ocorrido no Rio, que pediu eleições diretas para presidente da República; de acordo com o senador, entre 100 mil e 150 mil pessoas participaram do evento, que contou com a presença de lideranças políticas e de artistas; "Eu pergunto: Por que têm medo de povo? Porque um presidente que saísse eleito de um processo democrático sairia com força para tirar o país da crise. Fosse de que partido fosse, um presidente que saísse com a legitimidade popular, com voto da maioria dos brasileiros, teria força"

Senador Lindbergh Farias (PT-RJ) comemorou o sucesso do ato ocorrido no Rio, que pediu eleições diretas para presidente da República; de acordo com o senador, entre 100 mil e 150 mil pessoas participaram do evento, que contou com a presença de lideranças políticas e de artistas; "Eu pergunto: Por que têm medo de povo? Porque um presidente que saísse eleito de um processo democrático sairia com força para tirar o país da crise. Fosse de que partido fosse, um presidente que saísse com a legitimidade popular, com voto da maioria dos brasileiros, teria força"
Senador Lindbergh Farias (PT-RJ) comemorou o sucesso do ato ocorrido no Rio, que pediu eleições diretas para presidente da República; de acordo com o senador, entre 100 mil e 150 mil pessoas participaram do evento, que contou com a presença de lideranças políticas e de artistas; "Eu pergunto: Por que têm medo de povo? Porque um presidente que saísse eleito de um processo democrático sairia com força para tirar o país da crise. Fosse de que partido fosse, um presidente que saísse com a legitimidade popular, com voto da maioria dos brasileiros, teria força" (Foto: Leonardo Lucena)

Agência Senado

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) comemorou o sucesso do ato ocorrido no Rio de Janeiro, no último domingo, que pediu a realização de eleições diretas para presidente da República. De acordo com o senador, entre 100 mil e 150 mil pessoas participaram do evento, que contou com a presença de lideranças políticas e de artistas.

Lindbergh ainda criticou parlamentares que afirmam não haver previsão constitucional para uma eventual eleição direta para a Presidência. Ele argumentou que, se o Tribunal Superior Eleitoral cassar a chapa Dilma-Temer por crime eleitoral, terá que ser convocada uma nova eleição em até 90 dias, a exemplo do que ocorreu no estado do Amazonas.

O senador citou ainda duas propostas de emenda à Constituição que permitem eleição direta para presidente em 2017. Lindbergh é o relator de uma delas e espera que a matéria seja votada nesta quarta-feira (31) pela Comissão de Constituição,Justiça e Cidadania. Em  sua opinião, o povo não aceitaria um novo presidente escolhido pelo Congresso.

- Eu pergunto: Por que têm medo de povo? Porque um presidente que saísse eleito de um processo democrático sairia com força para tirar o país da crise. Fosse de que partido fosse, um presidente que saísse com a legitimidade popular, com voto da maioria dos brasileiros, teria força - afirmou o senador.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247