Sob Witzel, policiais respondem por quase metade de mortes na Grande Rio

As polícias Civil e Militar, sob o comando do governador do Rio, Wilson Witzel, foram responsáveis por 41,5% das mortes violentas na região metropolitana do estado, informou o Instituto de Segurança Pública. O governador defende publicamente o abate de criminosos que estiverem portando armas de fogo

(Foto: Philippe Lima/Gov RJ)

247 - As polícias Civil e Militar, que estão sob o comando do governador do Rio, Wilson Witzel, foram responsáveis por 41,5% das mortes violentas na região metropolitana do estado, que engloba a capital fluminense e mais 16 municípios de seu entorno. De 429 letalidades violentas em julho na região, 178 foram cometidas por agentes, informou nesta quarta-feira (21), informou o Instituto de Segurança Pública (ISP). Os dados significam que a polícia matou entre seis e sete pessoas por dia em julho. No período nenhum agente policial do Rio perdeu sua vida enquanto estava trabalhando no mesmo mês.

Considerando todo o território do estado do Rio, o ISP registrou 194 mortes "por intervenção de agente" somente em julho, 37,5% do total de letalidades violentas (518 ocorrências) no mês. É mais um recorde: a cifra é a maior para um único mês desde 1998, quando o índice começou a ser medido. Também um aumento 49% com relação a julho do ano passado, quando os policiais assumiram ter matado 130 pessoas.

O governador defende publicamente o abate de criminosos que estiverem portando armas de fogo. Nesta quarta-feira (22), por exemplo, ele causou polêmica ao descer de um helicóptero comemorando a morte de um sequestrador pela polícia. O bandido tinha feito mais de 30 reféns em um ônibus na Ponte Rio-Niteroi. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247