STF manda prender deputado Celso Jacob

Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou nesta terça-feira, 23, que seja executada a sentença de prisão contra o deputado federal Celso Jacob (PMDB-RJ), na foto com os correligionários Michel Temer e Eduardo Cunha; ministros rejeitaram recurso do deputado contra decisão do colegiado em que foi condenado a sete anos e dois meses no regime semiaberto, mais multa, por falsificação de documento público e dispensa de licitação;

Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou nesta terça-feira, 23, que seja executada a sentença de prisão contra o deputado federal Celso Jacob (PMDB-RJ), na foto com os correligionários Michel Temer e Eduardo Cunha; ministros rejeitaram recurso do deputado contra decisão do colegiado em que foi condenado a sete anos e dois meses no regime semiaberto, mais multa, por falsificação de documento público e dispensa de licitação;
Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou nesta terça-feira, 23, que seja executada a sentença de prisão contra o deputado federal Celso Jacob (PMDB-RJ), na foto com os correligionários Michel Temer e Eduardo Cunha; ministros rejeitaram recurso do deputado contra decisão do colegiado em que foi condenado a sete anos e dois meses no regime semiaberto, mais multa, por falsificação de documento público e dispensa de licitação; (Foto: Aquiles Lins)

Rio 247 - A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou nesta terça-feira, 23, que seja executada a sentença de prisão contra o deputado federal Celso Jacob (PMDB-RJ). 

A Turma do STF rejeitou o recurso do deputado contra decisão do colegiado em que foi condenado a sete anos e dois meses no regime semiaberto, mais multa, a punição ao parlamentar, por falsificação de documento público e dispensa de licitação. O tribunal não tratou de cassação do mandato.

Jacob foi acusado de fraudar em 2003 a publicação de uma lei municipal de Três Rios (RJ), cidade da qual era prefeito, acrescentando um artigo que não tinha sido votado na Câmara de Vereadores. O objetivo era criar um crédito orçamentário adicional que permitiria finalizar a construção de um creche.

Segundo o jornal O Globo, Celso Jacob disse que irá recorrer da decisão. "Eu sei que ainda vou recorrer, porque é uma creche, não tem dano ao erário, não tem perda nenhuma. É uma coisa que eu ganhei em outro processo que eu tinha aí como inquérito, uma licitação. Eu ganhei, igualzinho, sem dano ao erário, eles me deram provimento. E nesta estão me condenando", afirmou Jacob.

"Esse regime que eles colocaram para mim é o regime aberto (sic). Então não sei o que eles vão fazer. Está tudo muito novo. Vou estar com meus advogados para saber o caminho. Eu estou num momento agora que é um momento político. Todo mundo que cair no Supremo vai dançar", afirmou. 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247