TCU apura gastos irregulares de R$ 100 milhões em hospital sob influência de Flávio Bolsonaro

O Rio tem três ex-superintendentes do Ministério da Saúde e o coordenador dos hospitais federais, Marcelo Lamberti, que chegaram aos seus cargos por influência do senador do PL-RJ

www.brasil247.com - Flávio Bolsonaro
Flávio Bolsonaro (Foto: Tânia Rêgo - Agência Brasil / Reprodução)


247 - O Tribunal de Contas da União (TCU) disse que o Hospital Federal de Bonsucesso (HFB) tem quase R$ 100 milhões em contratos sem licitação entre 2019 e 2021. O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) influencia a unidade hospitalar. Na rede federal de saúde do estado do Rio de Janeiro estão três ex-superintendentes do Ministério da Saúde e o coordenador-geral dos hospitais federais, Marcelo Lamberti, que chegaram aos seus cargos por influência do parlamentar. 

De acordo com informações publicadas nesta quinta-feira (11) pela coluna de Malu Gaspar, a maioria dos contratos analisados por técnicos do TCU são para serviços do dia-a-dia, como limpeza, vigilância e serviços administrativos.

O TCU faz uma análise, pois a CPI da Covid não teve tempo de conseguir mais informações sobre irregularidades envolvendo o HFB. A Comissão Parlamentar de Inquérito acabou em outubro passado sem uma conclusão acerca das ilegalidades em licitações.

O Ministério da Saúde disse que "todos os contratos analisados pelo TCU se referem a gestões anteriores do hospital e, atualmente, estão regularizados por meio de processo licitatório, incluindo os serviços de limpeza e vigilância".

A pasta afirmou que atual direção do HFB "aderiu ao Programa Nacional de Prevenção à Corrupção, coordenado pela Controladoria Geral da União e pelo Tribunal de Contas da União, além de criar a Área de Integridade para prevenção, detecção e punição de práticas de corrupção e fraude".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email