Valente cobra demissão de Moro: pede para sair

“Moro definiu datas das operações, incluiu provas, negou delação de Cunha, tentou ludibriar o STF. Pede pra sair, Sérgio Moro. Suas desculpas fajutas esbarram num 'detalhe' incontornável, a verdade”, afirmou o deputado Ivan Valente (PSOL-SP)

(Foto: Luis Macedo - Agência Câmara)

247 – O deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) cobrou demissão do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, após as novas revelações do Intercept Brasil, desta vez em parceria com a Veja.

“Moro definiu datas das operações, incluiu provas, negou delação de Cunha, tentou ludibriar o STF. Pede pra sair, @SF_Moro . Suas desculpas fajutas esbarram num “detalhe” incontornável, a verdade”, disse o parlamentar no Twitter.

Na troca de mensagens pelo Telegram, em 28 de abril de 2016, os procuradores conversaram sobre um alerta de Moro à força-tarefa. 

O procurador Deltan Dallagnol diz à procuradora Laura Tessler que o então juiz o havia chamado a atenção sobre a falta de uma informação na denúncia contra o lobista Zwi Skornicki, réu da operação e representante da Keppel Fels, estaleiro com contratos suspeitos com a Petrobras.

“Laura no caso do Zwi, Moro disse que tem um depósito em favor do [Eduardo] Musa [da Petrobras] e se for por lapso que não foi incluído ele disse que vai receber amanhã e da tempo. Só é bom avisar ele”, diz.

“Ih, vou ver”, responde a procuradora.

De acordo com a Veja, no dia seguinte a esse diálogo, a Procuradoria em Curitiba incluiu comprovante de depósito de US$ 80 mil feito por Skornicki a Musa. Moro aceitou a denúncia e, na decisão, mencionou o documento que havia pedido. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247