Vivaldo Barbosa: “Impeachment não é causado por manifestação”

Correligionário de Dilma Rousseff quando a presidente era filiada ao PDT, nos anos 1990, ex-deputado federal reconhece protestos anti-governo deste domingo como legítimos numa democracia, mas lembra que há grupos que querem tomar o poder "fora das regras democráticas"; em entrevista ao Valor Econômico, Barbosa diz que pode-se usar os protestos "para estimular o impeachment", mas frisa que o impeachment "não é causado por manifestação. Impeachment é causado por cometimento de crime de responsabilidade pelo governante", o que "não apareceu" até agora

Correligionário de Dilma Rousseff quando a presidente era filiada ao PDT, nos anos 1990, ex-deputado federal reconhece protestos anti-governo deste domingo como legítimos numa democracia, mas lembra que há grupos que querem tomar o poder "fora das regras democráticas"; em entrevista ao Valor Econômico, Barbosa diz que pode-se usar os protestos "para estimular o impeachment", mas frisa que o impeachment "não é causado por manifestação. Impeachment é causado por cometimento de crime de responsabilidade pelo governante", o que "não apareceu" até agora
Correligionário de Dilma Rousseff quando a presidente era filiada ao PDT, nos anos 1990, ex-deputado federal reconhece protestos anti-governo deste domingo como legítimos numa democracia, mas lembra que há grupos que querem tomar o poder "fora das regras democráticas"; em entrevista ao Valor Econômico, Barbosa diz que pode-se usar os protestos "para estimular o impeachment", mas frisa que o impeachment "não é causado por manifestação. Impeachment é causado por cometimento de crime de responsabilidade pelo governante", o que "não apareceu" até agora (Foto: Gisele Federicce)

247 – O ex-deputado federal Vivaldo Barbosa (RJ), correligionário de Dilma Rousseff quando a presidente era filiada ao PDT, nos anos 1990, enfatizou em entrevista concedida a Alessandra Saraiva, do Valor Econômico, nesta segunda-feira 14, que os protestos deste domingo 13 podem ser usados para estimular o impeachment, mas frisa que o impeachment "não é causado por manifestações".

Ele também reconhece os atos anti-governo como legítimos numa democracia, mas lembra que há grupos que querem tomar o poder "fora das regras democráticas". "As manifestações demonstram muita raiva do governo do PT, e o partido terá dificuldades nas próximas eleições. Também em 2018 [ano da próxima corrida presidencial] o partido terá uma eleição muito difícil. Agora, se isso é o início do fim [para o PT], pode ser na linha em que o fim acaba em 2018, no processo eleitoral", afirma.

"Podem usar os protestos para estimular o impeachment. Mas quero frisar que impeachment não é causado por manifestação. Impeachment é causado por cometimento de crime de responsabilidade pelo governante - e o governante está investido pelo voto popular. A eleição foi dura, mas a maioria foi da presidente: 53 milhões de votos válidos", acrescentou o ex-deputado.

"Essas pessoas dão investidura a ela e só pode sofrer impeachment se for dentro das regras constitucionais. Neste ponto, todos têm consciência de que não há nenhum fato que possa se imputar à presidente como crime de responsabilidade. Não digo que não venha a aparecer; mas, até agora, não apareceu", ressalta Barbosa.

Leia aqui a íntegra da entrevista, para assinantes.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247