Witzel ignorou alerta sobre dano a cofres públicos em hospitais

Governo estadual do Rio de Janeiro ignorou alertas sobre risco de dano aos cofres públicos e manteve pagamentos para a Organização Social Iabas, que deveria construir e operar sete hospitais de campanha para pacientes com Covid-19

Wilson Witzel
Wilson Witzel (Foto: Carlos Magno/GOVRJ)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador Wilson Witzel (PSC) determinou o rompimento do contrato com a Iabas e afirmou que buscará na Justiça o ressarcimento dos valores pagos. A decisão vem depois de ter mantido o pagamento à entidade apesar dos alertas que recebeu sobre os danos que isto provocava às finanças estaduais.

O rompimento do contrato é parte de um decreto de intervenção nos hospitais de campanha publicado na quarta-feira (3) por Witzel. A Iabas deveria ter concluído em 30 de abril as sete unidades, que somariam 1.300 leitos. No entanto, apenas o centro médico do Maracanã foi entregue e, ainda sim, muito abaixo da capacidade contratada —apenas 129 dos 400 leitos estão funcionando.

A Iabas está no centro do escândalo de corrupção que resultou na Operação Placebo —em que o próprio Witzel e a primeira-dama Helena Witzel foram alvo de mandados de busca e apreensão, informa o UOL.  

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email