Witzel reafirma desejo de disputar 2022 e aumenta racha com Bolsonaro

Com o racha da bancada fluminense do PSL, o governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), reafirmou ter vontade de concorrer ao Planalto em 2022 pelo PSL, partido de Jair Bolsonaro. A legenda rompeu com o chefe do Executivo estadual, que tem bandeiras em comum com Bolsonaro, como a defesa da pena de morte para criminosos

247 - Com o racha da bancada fluminense do PSL, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), reafirmou ter vontade de concorrer à presidência da República em 2022 pelo PSL, partido de Jair Bolsonaro. A informação foi publicada pelo jornal Valor Econômico. Ele foi eleito com o apoio do ocupante do Planalto, mas ambos romperam após o chefe do Executivo estadual demonstrar publicamente o desejo de ser presidenciável na próxima eleição. 

O governo Witzel perdeu o apoio do PSL na Assembleia Legislativa (Alerj), o que dificulta o pretensão de concorrer ao Planalto e a governalidade em uma unidade federativa que foi a primeira a decretar estado de calamidade financeira - em junho de 2016. 

O governador do Rio tem bandeiras em comum com Bolsonaro. A principal delas é a defesa da pena de morte para criminosos. Recentemente, Witzel desceu de um helicóptero levantando os braços em comemoração ao abate de um criminoso pela polícia na Ponto Rio-Niterói, onde um sequestrador fez quase 40 reféns dentro de um ônibus. 

Se associado à imagem de Jair Bolsonaro não dá apoio popular. De acordo com pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada no começo deste mês, a reprovação dele aumentou de 33% para 38% em relação ao levantamento anterior do instituto, feito no início de julho.  A aprovação caiu, de 33% em julho para 29% agora.  

A popularidade caiu até mesmo entre os mais ricos (com renda mensal acima de 10 salários mínimos), ao passar de 52% em julho para 37% agora.



Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247