Álvaro Dias: "Barbosa deixa marca de coragem e dignidade"

Senador Álvaro Dias (PSDB-PR) disse nesta quinta (29) que apenas "moradores da Papuda" estarão comemorando a saída do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa; para ele, Barbosa deixa uma marca de "coragem" como magistrado; "Sobretudo como relator do mensalão ele deixa um legado de coragem e de dignidade, de enfrentamento. É uma ruptura com um estado de leniência que provocava sempre indignação no povo brasileiro", afirmou

Senador Alvaro Dias (PSDB-PR) lamenta que projeto de lei de sua autoria que acaba com o sigilo em empréstimos concedidos a outros países não tenha sido votado nesta quinta-feira (29) pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional
Senador Alvaro Dias (PSDB-PR) lamenta que projeto de lei de sua autoria que acaba com o sigilo em empréstimos concedidos a outros países não tenha sido votado nesta quinta-feira (29) pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (Foto: Valter Lima)

247 - O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) disse nesta quinta-feira (29) que apenas "moradores da Papuda" estarão comemorando a saída do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa. Para ele, Barbosa deixa uma marca de "coragem" como magistrado.

"Sobretudo como relator do mensalão ele deixa um legado de coragem e de dignidade, de enfrentamento. É uma ruptura com um estado de leniência que provocava sempre indignação no povo brasileiro. Demorou muito tempo para a população do país ver na cadeia alguns líderes nacionais. É possível que hoje alguns moradores da [Penitenciária da] Papuda estejam comemorando, mas certamente o país não comemora ver Joaquim Barbosa fora do Supremo Tribunal Federal", disse, em referência aos condenados do da AP 470.

Joaquim Barbosa anunciou sua aposentadoria no final de julho para os colegas de Corte hoje, após 41 anos de serviço público, dos quais 11 no Supremo. Ele tem 59 anos e poderia permanecer na Corte até 2024, quando completará 70 anos, mas não justificou o porquê de decidir abandonar o gabinete mais cedo. Antes de anunciar a decisão aos demais ministros do STF, Barbosa se reuniu com a presidenta Dilma Rousseff e com os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O atual vice-presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski, assumirá o comando da Corte.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247