Câmara de Curitiba confirma cassação de Renato Freitas por protestar contra racismo. Defesa deve ir à Justiça

Foram 25 votos a favor da cassação e cinco contrários. Oposição vê racismo. Arquidiocese de Curitiba defendeu o parlamentar

www.brasil247.com - Renato Freitas
Renato Freitas (Foto: Reprodução/Twitter)


Rede Brasil Atual - Com 25 votos favoráveis, cinco contrários e duas abstenções, a Câmara de Curitiba confirmou nesta quarta-feira (22) a cassação do vereador Renato Freitas (PT), que estava em seu primeiro mandato. Eram necessários 20 votos, maioria absoluta da Casa, que tem 38 vereadores. A sessão foi rápida, com protestos contra a decisão, que ainda poderá ser questionada na Justiça. Ele também perdeu os direitos políticos por oito anos.

“Todos os integrantes que se declaram negros votaram contra a cassação e isso significa alguma coisa. Temos aliados na luta antirracista, mas a maioria dos vereadores que é branca votou a favor da cassação”, lamentou a vereadora Carol Dartora (PT). Ela identificou na decisão “um golpe contra a democracia, contra a pluralidade e contra o povo preto”.

Com a perda do mandato, quem deverá assumir é a primeira suplente do PT, Ana Júlia, de 21 anos. Ela tornou-se conhecida em 2016, ao participar das ocupações de escolas secundárias na capital paranaense.

A votação do projeto que cassava Renato estava suspensa por uma liminar judicial, derrubada na última segunda-feira (20) pela Câmara. Com isso, o presidente da Casa, Tico Kuzma (Pros), marcou as sessões de votação, em duas rodadas. O pretexto para a medida foi um ato na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, em fevereiro. No mês seguinte, a própria Arquidiocese de Curitiba encaminhou documento ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Legislativo municipal, pedindo que o mandato não fosse cassado. O documento foi lido hoje pela vereadora Professora Josete (PT), 2ª secretária da Câmara.

Com 5.097 votos recebidos em 2020, Renato Freitas foi o 16º candidato a vereador mais votado em Curitiba. Professor universitário e advogado popular, ele já havia disputado uma vaga na Câmara e outra na Assembleia Legislativa do Paraná, em 2018, quando teve mais de 15 mil votos.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email