Carlos Lima deve evitar atuação política nas redes, recomenda CNMP

Conselho Nacional do Ministério Público recomendou que o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos líderes da operação Lava Jato, não use as redes sociais para expressar posições políticas; recomendação veio em decisão que arquivou ação movida pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra Lima; em julho de 2017, a defesa do petista acionou o CNMP com um pedido de verificação de possível desvio funcional por parte do procurador, por suas críticas a Lula publicados por Lima no Facebook

Conselho Nacional do Ministério Público recomendou que o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos líderes da operação Lava Jato, não use as redes sociais para expressar posições políticas; recomendação veio em decisão que arquivou ação movida pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra Lima; em julho de 2017, a defesa do petista acionou o CNMP com um pedido de verificação de possível desvio funcional por parte do procurador, por suas críticas a Lula publicados por Lima no Facebook
Conselho Nacional do Ministério Público recomendou que o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos líderes da operação Lava Jato, não use as redes sociais para expressar posições políticas; recomendação veio em decisão que arquivou ação movida pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra Lima; em julho de 2017, a defesa do petista acionou o CNMP com um pedido de verificação de possível desvio funcional por parte do procurador, por suas críticas a Lula publicados por Lima no Facebook (Foto: Aquiles Lins)

Paraná 247 - O Conselho Nacional do Ministério Público recomendou que o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos líderes da operação Lava Jato, não use as redes sociais para expressar posições políticas.

Recomendação veio em decisão que arquivou ação movida pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra Lima. Em julho de 2017, a defesa do petista acionou o CNMP com um pedido de verificação de possível desvio funcional por parte do procurador, por suas críticas a Lula publicados por Lima no Facebook.

"Não é de hoje que Lima age assim, marcando suas preferências ideológicas a partir de ataques à honra e à imagem de Lula, chegando a questionar sua aptidão para exercício da presidência da República", explicam os advogados Cristiano Zanin e Roberto Teixeira na época.

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247