Delação de Palocci só sai se incluir Lula e BTG

Essa teria sido a condição imposta pelos procuradores da Lava Jato, segundo o colunista Lauro Jardim: ou entrega o ex-presidente Lula e o banqueiro André Esteves, ou não tem acordo de delação premiada; segundo o jornalista, Palocci já se comprometeu a falar sobre os grupos Caoa e Cosan, além do Carf, onde são julgados recursos fiscais de grandes empresas

Palocci e Lula
Palocci e Lula (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Há uma condição imposta pelos procuradores da Lava Jato, segundo o colunista Lauro Jardim, para aceitar um acordo com o ex-ministro Antônio Palocci: ou entrega o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, ou não tem acordo de delação premiada.

Segundo o jornalista, Palocci já se comprometeu a falar sobre os grupos Caoa, do empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade, e Cosan, de Rubens Ometto, além do Carf, onde são julgados recursos fiscais de grandes empresas. Mas Lula e Esteves seriam pontos de honra dos negociadores do Ministério Público.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247