Ex-presidente da Sete Brasil fecha acordo de delação

João Carlos de Medeiros Ferraz já admitiu, em carta à empresa, ter recebido US$ 1,9 milhão em propina, em um "momento de fraqueza", por pressão dos colegas; pelo acordo com o MP, ele vai devolver R$ 3 milhões e repatriar pelo menos US$ 1,9 milhão (R$ 7,7 milhões); a empresa foi criada pela Petrobras, em 2010, para fornecer as sondas de exploração do pré-sal

A Comiss�o Parlamentar de Inqu�rito (CPI) da Petrobras ouve o ex-presidente da Sete Representa��es, Jo�o Carlos de Medeiros Ferraz (Marcelo Camargo/Ag�ncia Brasil)
A Comiss�o Parlamentar de Inqu�rito (CPI) da Petrobras ouve o ex-presidente da Sete Representa��es, Jo�o Carlos de Medeiros Ferraz (Marcelo Camargo/Ag�ncia Brasil) (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ex-presidente da Sete Brasil João Carlos de Medeiros Ferraz também fechou acordo de delação premiada com a força-tarefa da Operação Lava Jato.

No ano passado, ele admitiu, em carta à empresa, ter recebido US$ 1,9 milhão em propina, em um "momento de fraqueza", por pressão dos colegas.

Pelo acordo com o MP, ele vai devolver R$ 3 milhões e repatriar pelo menos US$ 1,9 milhão (R$ 7,7 milhões).

O ex-gerente da área internacional da Petrobras Eduardo Musa, que era diretor de participações da Sete Brasil, também assinou o acordo e deve restituir R$ 4,5 milhões de reais e repatriar US$ 3,2 milhões de dólares (cerca de R$ 12,9 milhões). Em depoimento, ele envolveu o atual presidente da empresa, Luiz Eduardo Carneiro, no esquema (leia aqui). 

A empresa foi criada pela Petrobras, em 2010, para fornecer as sondas de exploração do pré-sal e tem como maior acionista o BTG Pactual. Segundo Ferraz, as propinas foram recebidas entre maio e dezembro de 2013.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247