Gaeco mira Secretaria de Urbanismo em Curitiba

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) faz uma operação contra irregularidades na concessão de alvarás na Secretaria de Urbanismo de Curitiba; as ordens judiciais foram cumpridas na capital e em Colombo, na região metropolitana; pessoas ligadas a funcionários demitidos da pasta teriam recebido vantagens indevidas com o objetivo de facilitar trâmites burocráticos para liberação de alvarás e licenciamentos e transferência de imóveis, apontaram as investigações


O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) faz uma operação contra irregularidades na concessão de alvarás na Secretaria de Urbanismo de Curitiba; as ordens judiciais foram cumpridas na capital e em Colombo, na região metropolitana; pessoas ligadas a funcionários demitidos da pasta teriam recebido vantagens indevidas com o objetivo de facilitar trâmites burocráticos para liberação de alvarás e licenciamentos e transferência de imóveis, apontaram as investigações
O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) faz uma operação contra irregularidades na concessão de alvarás na Secretaria de Urbanismo de Curitiba; as ordens judiciais foram cumpridas na capital e em Colombo, na região metropolitana; pessoas ligadas a funcionários demitidos da pasta teriam recebido vantagens indevidas com o objetivo de facilitar trâmites burocráticos para liberação de alvarás e licenciamentos e transferência de imóveis, apontaram as investigações (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) fez na manhã desta sexta-feira (1º) uma operação contra irregularidades na concessão de alvarás na Secretaria de Urbanismo de Curitiba. As ordens judiciais foram cumpridas na capital e em Colombo, na região metropolitana. Pessoas ligadas a funcionários demitidos da pasta teriam recebido vantagens indevidas com o objetivo de facilitar trâmites burocráticos para liberação de alvarás e licenciamentos e transferência de imóveis, apontaram as investigações.

O Gaeco apura se essas pessoas interferiam nas autorizações ou se apenas solicitavam e recebiam dinheiro para auxiliarem nas liberações. 

A Justiça expediu oito mandados de prisão temporária, sete de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento, e 12 de busca e apreensão. 

Os investigados devem responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, associação criminosa, concussão e tráfico de influência.

Conforme o G1, o secretário de urbanismo Marcelo Ferraz Cesar afirmou que a Prefeitura de Curitiba está colaborando com as investigações. "Antes de assumirmos a gestão já haviam ruídos e boatos que existiam casos anômalos dentro da aprovação de projetos ou liberações. Nós estamos colaborando de maneira plena para as investigações", disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247