Gleisi pede voto de censura à fala machista de Temer

Líder do PT no Senado, Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse já ter 15 assinaturas e pediu apoio para chegar às 27 necessárias para que o documento, em protesto contra o discurso de Michel Temer na cerimônia que "supostamente deveria fazer homenagem às mulheres", conforme disse Gleisi, seja colocado em votação na Casa; "Pensar em uma mulher vinculada apenas ao papel do lar é retroceder a história em pelo menos 70 anos. Por isso o discurso proferido ontem pelo presidente Michel Temer foi um insulto, para nós mulheres e para a sociedade, contra a história, contra as nossas conquistas, contra a nossa inteligência e a nossa participação social", disse a senadora; a visão de Temer "é a visão que está dirigindo as políticas públicas para as mulheres", completou; assista

Líder do PT no Senado, Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse já ter 15 assinaturas e pediu apoio para chegar às 27 necessárias para que o documento, em protesto contra o discurso de Michel Temer na cerimônia que "supostamente deveria fazer homenagem às mulheres", conforme disse Gleisi, seja colocado em votação na Casa; "Pensar em uma mulher vinculada apenas ao papel do lar é retroceder a história em pelo menos 70 anos. Por isso o discurso proferido ontem pelo presidente Michel Temer foi um insulto, para nós mulheres e para a sociedade, contra a história, contra as nossas conquistas, contra a nossa inteligência e a nossa participação social", disse a senadora; a visão de Temer "é a visão que está dirigindo as políticas públicas para as mulheres", completou; assista
Líder do PT no Senado, Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse já ter 15 assinaturas e pediu apoio para chegar às 27 necessárias para que o documento, em protesto contra o discurso de Michel Temer na cerimônia que "supostamente deveria fazer homenagem às mulheres", conforme disse Gleisi, seja colocado em votação na Casa; "Pensar em uma mulher vinculada apenas ao papel do lar é retroceder a história em pelo menos 70 anos. Por isso o discurso proferido ontem pelo presidente Michel Temer foi um insulto, para nós mulheres e para a sociedade, contra a história, contra as nossas conquistas, contra a nossa inteligência e a nossa participação social", disse a senadora; a visão de Temer "é a visão que está dirigindo as políticas públicas para as mulheres", completou; assista (Foto: Ana Pupulin)

Paraná 247 – A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), líder do PT no Senado, anunciou nesta quinta-feira 9 ter dado início à coleta de assinaturas para o requerimento de um voto de censura contra o discurso machista feito por Michel Temer em cerimônia no Palácio do Planalto nesta quarta, que "supostamente deveria ter sido em homenagem às mulheres", como lembrou Gleisi.

"Hoje o lugar da mulher é onde ela quiser (...). Pensar em uma mulher vinculada apenas ao papel do lar é retroceder a história em pelo menos 70 anos. Por isso o discurso proferido ontem pelo presidente Michel Temer foi um insulto, para nós mulheres e para a sociedade, contra a história, contra as nossas conquistas, contra a nossa inteligência e a nossa participação social", respondeu a senadora sobre a fala de Temer.

Em cerimônia no Palácio do Planalto pelo Dia Internacional da Mulher, Temer citou como "papel" da mulher os "afazeres domésticos", a ida ao supermercado, cuidar dos filhos e do orçamento familiar. Ele recebeu uma enxurrada de críticas pelo discurso (leia aqui). Hoje, a equipe do Planalto tentou consertar a situação defendendo "igualdade de direitos" nas redes sociais, mas ele também foi criticado.

Gleisi destacou que as mulheres ficam sobrecarregadas com os trabalhos domésticos e cuidando dos filhos e não recebem sequer um 'muito obrigado'. "E vão ser homenageadas por isso no Dia Internacional da Mulher? É de uma pobreza de espírito imensa", protestou.

"Esse presidente está acabando com as aposentadorias especiais das donas de casa", criticou ainda Gleisi. "Poderia ao menos deixar essas aposentadorias, já que ele reconhece que esse é o papel da mulher", afirmou. Ela lembrou que sem o papel da mulher ao longo da história, não teríamos a sociedade edificada como está.

"Só que agora, nós temos outro momento histórico. Agora os homens têm que dividir com as mulheres o trabalho de casa, cuidar dos filhos. Ora, sobrava às mulheres cuidar dos filhos e da casa porque elas não tinham outra opção. Se as mulheres pudessem, no início do século passado, irem para as universidades, seriam alfabetizadas. O papel da mulher era sair da mão do pai para ir para a mão do marido, e chamava o marido de senhor", lembra.

Segundo Gleisi, a visão de Temer "é a visão que está dirigindo as políticas públicas para as mulheres". "O que reflete na fala do presidente da República é exatamente o machismo impregnado na nossa sociedade. Por isso não podemos deixar passar em branco. Essa Casa tem a obrigação de se manifestar sobre essa fala", apelou.

Gleisi anunciou já ter 15 assinaturas para o requerimento de voto de censura, que precisa de 27 para ser colocado em votação. O voto de censura é um instrumento previsto no Regimento Interno da Casa para manifestar oficialmente descontentamento com determinada atitude pública tomada por uma autoridade. O voto tem caráter moral, sem outras consequências administrativas.

Assista no vídeo acima à íntegra do discurso da senadora.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247