Ideli Salvatti defende a prisão de Moro por destruir provas

Não tem um único membro do Judiciário nesse país pra bradar um “Teje preso!!!”. É flagrante delito, ao vivo e a cores, e cara de paisagem generalizada do STF, STJ, PGR!!!!!, postou a ex-senadora e ex-ministra

(Foto: Fabio Pozzebom - ABR)

247 – A ex-senadora Ideli Salvatti, do PT de Santa Catarina, defendeu a prisão imediata de Sergio Moro por obstrução judicial e destruição de provas. Não tem um único membro do Judiciário nesse país pra bradar um “Teje preso!!!”. É flagrante delito, ao vivo e a cores, e cara de paisagem generalizada do STF, STJ, PGR!!!!!, postou a ex-senadora.

Confira abaixo seu tweet e análise do jornalista Kennedy Alencar sobre o caso:

O jornalista Kennedy Alencar afirmou nesta quinta-feira, 25, que o anúncio do ministro Sérgio Moro de mandar destruir provas apreendidas pela Polícia Federal com acusados de hackeamento pode ser uma forma de obstrução de Justiça.

"Ora, há um inquérito em andamento. Todas as provas em poder da PF podem ser úteis para esclarecer o caso. Mais: os diálogos podem confirmar a autenticidade das mensagens que foram publicadas com base no arquivo do 'Intercept Brasil'", diz Kennedy. 

"A destruição de provas pretendida por Moro pode impedir a confirmação da autenticidade das mensagens, atendendo à versão do ministro da Justiça e de integrantes da Lava Jato que aventaram eventuais adulterações de diálogos que vieram a público a partir do arquivo obtido pelo jornalista Glenn Greenwald", acrescenta o jornalista. 

Kennedy lembra que a eventual destruição de provas não pode ser decidida pelo ministro da Justiça, autoridade do Poder Executivo. "Seria necessária uma ordem judicial que obedeça à legislação sobre a privacidade dos cidadãos. Portanto, é gravíssimo que o ministro da Justiça esteja fazendo tal comunicado a autoridades públicas, especialmente do Judiciário."

Leia o texto na íntegra no Blog do Kennedy

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247