Maria do Rosário: STF deve dar fim às práticas de Moro

"Como Moro ainda é Ministro da Justiça? O sujeito na cadeira presidencial é o beneficiário de sua fraude. Poderes devem agir pela democracia e direito: o STF dar fim à práticas de Moro", afirmou a deputada Maria do Rosário (PT-RS), que defendeu a implantação de uma CPMI para investigar Sérgio Moro, ex-juiz da Operação Lava Jato

(Foto: Cleia Viana - Câmara)

247 - A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) cobrou do Supremo Tribunal Federal punição contra o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, que interferiu no trabalho de procuradores na Operação Lava jato quando ele julgava os processos em primeira instância. O ex-magistrado não manteve a equidistância entre juzi e a parte acusatória (Ministério Público Federal em Curitiba, no Paraná).

"Como Moro ainda é Ministro da Justiça? O sujeito na cadeira presidencial é o beneficiário de sua fraude. Poderes devem agir pela democracia e direito: o STF dar fim à práticas de Moro.  A Câmara dos Deputados e o Senado Federal implantar CPMI Precisam agir com INDEPENDÊNCIA", escreveu a parlamentar no Twitter.

"Moro vai aos EUA mas não atravessa a rua entre o MJ e a Câmara dos Deputados para ir à CCJ, a qual disse q 'queria comparecer'.  Sou da CCJC avalio q só resta ao colegiado a CONVOCAÇÃO.  O fato de ter comparecido ao Senado só agrava sua situação, vista como medo e/ou desconsideração", acrescentou.

Reportagens do site Intercept Brasil que vêm sendo publicadas desde o último dia 9 apontam que Moro, na condiçao de juiz da Lava Jato, orientava o trabalho de procuradores. Com mensagens trocada pelo Telegram, Moro reclou, por exemplo, de uma procuradora para interrogar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, recomendou mudança da ordem de operações e seu conselhos a procuradores. 


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247