Moro participará de audiência na Câmara em dia de votação do impeachment

Comissão da Câmara dos Deputados que analisa as 10 medidas contra a corrupção visitou o juiz Sergio Moro e definiu com o magistrado do Paraná que ele defenderá o projeto na abertura dos trabalhos da Comissão, no dia 4 de agosto, mesma data em que a Comissão do Impeachment do Senado pretende votar a saída definitiva de Dilma Rousseff; "Acertamos a vinda dele para abrir a fase de oitivas da comissão especial que vai analisar as 10 medidas de combate à corrupção", confirmou o relator do projeto, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS)

O juiz federal Sergio Moro participa na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado de audiência pública sobre projeto que altera o Código de Processo Penal (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
O juiz federal Sergio Moro participa na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado de audiência pública sobre projeto que altera o Código de Processo Penal (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Aquiles Lins)

Jornal GGN - A Comissão da Câmara dos Deputados que analisa as 10 medidas contra a corrupção visitou o juiz Sergio Moro, nesta segunda-feira (25), e definiu com o magistrado do Paraná que ele defenderá o projeto na abertura dos trabalhos da Comissão, no dia 4 de agosto, mesma data em que a Comissão do Impeachment do Senado pretende votar a saída definitiva de Dilma Rousseff.

Os membros da Comissão que analisa as medidas anti-corrupção fizeram questão de trazer para a fase de oitivas a presença do juiz da Lava Jato. "Nós nos reunimos com o juiz Sérgio Moro e acertamos a vinda dele para abrir a fase de oitivas da comissão especial que vai analisar as 10 medidas de combate à corrupção", confirmou o relator do projeto, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

A agenda de Lorenzoni em Curitiba, encontrando-se com o magistrado nesta segunda (25), ocorre simultaneamente à defesa do novo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que o projeto anti-corrupção seja aprovado pelos parlamentares até o fim do ano. Além do deputado relator, aliado de Maia, também esteve presente na reunião com membros da força-tarefa em Curitiba o relator e presidente da Comissão, Joaquim Passarinho (PSD-PA).

Como o projeto foi elaborado pelo Ministério Público, sob o comando dos integrantes da Lava Jato, os deputados definiram, ainda, que os trabalhos contarão com a presença do coordenador da força-tarefa, o procurador da República Deltan Dallagnol.

A audiência com Dallagnol ficou agendada para a semana seguinte à fala de Moro, no dia 9 de agosto. "Os procuradores da Lava Jato se colocaram à disposição para colaborar com os trabalhos da comissão. A OAB [Ordem dos Advogados do Brasil], a Receita Federal, a Polícia Federal... vamos buscar todos que possam contribuir para que o Brasil possa enfrentar essa guerra contra a corrupção", enfatizou Lorenzoni.

No dia 4 de agosto, logo na primeira semana da volta do recesso branco, o Senado também estará votando matérias polêmicas, com a data reservada para a Comissão do Impeachment julgar o relatório que afasta definitivamente a presidente Dilma Rousseff do Planalto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247